Pages

26 de fevereiro de 2012

Onde estão as palavras?


Busco palavras por aí. Vasculho as gavetas, viro as roupas do avesso para ver se uma palavra perdida sequer, cai dali. Abro a janela e espero que algumas cheguem com o vento. Folheio o livro que fica na minha cômoda. Escuto aquela música que é a melhor para ouvir quando o dia não é dos melhores e nada. Nada de conseguir encaixar uma palavra na outra. Fica tudo inacabado sabe? Tudo para pela metade. Como um viajante que deixa tudo pela metade, deixa tudo para trás, e segue em frente. O problema é que eu não vejo frente nisso. Pra ver frente, preciso das palavras certas. É como um quebra cabeças que você teria conseguido montar inteirinho, mas uma única peça que estava perdida e você não conseguiu fazer com que ele ficasse preenchido por completo. É cansativa essa busca desesperada atrás das palavras. Deixa que o tempo às traga. Quem sabe um dia, logo ao amanhecer, milhares de palavras inundem meus pensamentos e fiquem guardadas em um lugarzinho bem especial para que eu possa usá-las e de certa forma, não deixar nada pela metade. Deixa assim. Tranquilo. Na paz. Com esperança. Um dia essa coisa inacabada tem que acabar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário